Cadastre seu e-mail
Receber informativos
Não receber informativos

Laboratórios

1. O QUE SÃO?

Definição. O Laboratório da Conscienciologia é o local otimizado para o desenvolvimento sofisticado das práticas de autopesquisa, em geral, construído isoladamente com finalidades específicas, capaz de potencializar o desencadeamento de reações positivas em pessoas diferentes pela acumulação de assinaturas pensênicas iguais ou assemelhadas, gerando os mesmos efeitos construtivos e evolutivos, sendo, por isso, cosmoeticamente sadio. Devendo ser sempre um ambiente de antidispersividade, autodefesa, conexidade multiexistencial, refazimento energéico e pesquisas contínuas (Homo sapiens reurbanisatus, p.821).

Estrutura. Os laboratórios conscienciológicos dispõem de espaço físico com 50 m², ambiente em local isolado e seguro, climatização, luminosidade regulável, cadeira, mesa, caneta, papel, despertador, travesseiro, poltrona, material de apoio para orientação quanto ao experimento e livros para consulta.

Histórico. O primeiro Laboratório do CEAEC foi inaugurado em setembro de 1997 com a proposta de pesquisa da Técnica da Imobilidade Física Vígil. Em seguida novos foram construídos totalizando 17 laboratórios de uso individual (Ano-Base: 2016). Cada Laboratório possui finalidade específica, porém todos visam auxiliar os pesquisadores promoverem a autopesquisa,

Paradigma. Os laboratórios de autoexperimentação evolutiva baseiam-se no paradigma consciencial, em que a consciência pesquisa a si mesma sendo a própria consciência objeto e agente de pesquisa ao mesmo tempo, por meio da aplicação de técnicas e experimentos assentados nas premissas da ciência Conscienciologia e suas especialidades.

Pesquisa. O conhecimento conscienciológico é sistematizado. Tem a veracidade ou falsidade de suas proposições ou hipóteses por meio da experimentação, executando-se apenas o empirismo pessoal. Permite tão somente a verificabilidade pessoal, o emprego da razão e a crítica mútua das experiências entre os pesquisadores experimentadores.

2. QUAIS SÃO?

O campus CEAEC possui 17 laboratórios de autopesquisa:
Autevoluciologia, Autocosmoeticologia, Autodespertologia, Automentalsomatologia, Autoparageneticologia, Autopensenologia, Autoproexologia, Autoprojeciologia, Autorganizaciologia, Autorretrocogniciologia, Autossinaleticologia, Conscienciografologia, Duplologia, Estado Vibracional, Imobilidade Física Vígil, Paradireitologia, Tenepessologia.

3. COMO PROCEDER?

1ª vez.
O pesquisador que pretende pesquisar pela primeira vez nos Laboratórios do CEAEC deverá informar o fato à recepção e passar por entrevista prévia com o mantenedor do setor de laboratórios, a ser agendada na recepção do CEAC.

Entrevista. O horário de orientação laboratorial é das 09h00 e das 15h00, diariamente. É
preciso agendar previamente na recepção.

Critério. Ter maior idade, usufruir de saúde física e mental. O menor de 18 anos de idade precisa estar acompanhado do responsável na entrevista prévia para preencher e assinar o termo de autorização.

Conhecimento. Para realizar o experimento laboratorial não é exigido conhecimento prévio aprofundado sobre a ciência da Conscienciologia e suas especialidades. Contudo, é desejável que o pesquisador participe de curso de introdução. O CEAEC oferece o curso Teoria e Prática da Conscienciologia – TPC.

Experimento.
Conforme o laboratório, o experimento tem duração de 1h e 30 min ou de 3h e 30 min. O tempo de experimento equivale respectivamente a 1 crédito e a 2 créditos.
Os créditos são de uso individual e intransferível a terceiros.

Marcação. Os créditos são comprados somente na recepção do CEAEC. Após aquisição de créditos, a marcação do laboratório pode ser feita na recepção, por telefone, ou na sala de atendimento dos laboratórios. A desmarcação ou troca de laboratório pode ser feita com até 1 (uma) hora de antecedência do experimento nos mesmos locais de marcação.


01.  Estado Vibracional – Destina-se à prática e pesquisa da técnica do Estado Vibracional (EV) a partir da mobilização das energias conscienciais comandada pela própria vontade, fazendo a energia fluir livremente pelo energossoma, ocasionando a autativação do EV.
Indicação de autopesquisa: abertismo do microuniverso consciencial, acoplamento áurico,
assim, desassim, desperticidade, epicentrismo consciencial, paraprofilaxia das vivências,
predisposição assistencial, e percepção da realidade energética.

02.  Autossinaleticologia
– Destina-se à pesquisa da sinalética energética-anímico-
parapsíquica, segundo os princípios da Parapercepciologia, compreendendo a existência, a
identificação e o emprego autoconsciente dos sinais personalíssimos em forma de sensações características da conscin. Instrumento de conexão e diálogo com o amparador extrafísico e interação com a multidimensionalidade.
Indicação de autopesquisa: atributos, estado vibracional, megassinais auto-identificados,
parapercepções, parapsiquismo, semipossessões benignas, sinergismo interconsciencial
multidimensional, sentidos e teleguiado assistencial.

03.  Autoproexologia – Destina-se à prática da autopesquisa da proéxis pessoal, favorecendo a obtenção de insights, identificação, compreensão e autoconscientização das metas de vida. Favorece o ajuste das diretrizes da proéxis, a manutenção da coerência multidimensional, e o maior aproveitamento evolutivo da atual existência. Possibilita experimentos de introspecção a fim de avaliar, com autocrítica, as realizações pessoais e prioridades, levando o experimentador a reperspectivar sua intraconsciencialidade e existência intrafísica.
Indicação de autopesquisa: assistência, autodisciplina, auto-organização, código volutivo,
compléxis, continuidade, Conviviologia, curso intermissivo, filosofia prática da vida humana, Homo sapiens agens, interprisão grupocármica, murismo, paragenética, priorização, psicossomática, potencialidades e talentos.

04.  Tenepessologia – Destina-se à prática, à pesquisa, desenvolvimento, aperfeiçoamento e estudo da Tarefa Energética Pessoal (tenepes), técnica com assistência permanente de amparadores e a transmissão de energias conscienciais para as consciências energívoras (conseners). Predispõe o ingresso à tenepes, a criação de neossinapses, a ocorrência de insights sobre a prática assistencial e vivência de fenômenos parapsíquicos diversos.
Indicação de autopesquisa: Assistenciologia, alcova blindada, amparador, antepassado de si mesmo, autoconscienciometria, autoenfrentamento, autoprofilaxia de assédio, bolsões de patopensene, estudo das energias conscienciais, isca consciencial, paratécnica, parapsiquismo, paraprofilaxia e tipos de consciências.

05.  Autopensenologia – Firma-se à prática, pesquisa e estudo dos pensenes (manifestações), a pensenidade (qualidade) e os pensenedores (instrumentos) da consciência, a Parafisiologia e a Parapsicopatologia. Contribui para o maior conhecimento e auto-conscientização da atuação dos pensenes, e as diversas interações multidimensionais que têm por base o pensene.
Indicação de autopesquisa: assinatura pensênica, automimeses, autopensenidade, autoculpas, autolucidez consciencial, cosmopensene, estigma ambiental, evocação, higiene consciencial, holopensene pessoal, Holossomática (Mentalsomática, Psicossomática e holochacralidade), intencionalidade, Maxipensenologia, patopensene e telepatia.

06.  Autorganizaciologia – Designa-se à pesquisa da auto-organização lúcida, racional, na dinâmica da própria evolução. Predispõe às reciclagens e reperspectivações com o ajuste da programação existencial e elimina as automimeses inúteis, as omissões deficitárias, os mini-erros e o culto pessoal das inutilidades.
Indicação de autopesquisa: autocrítica, auto-disciplina, auto-enganos, autovigilância
disciplinada, bússola consciencial, calculismo sadio, cultura inútil, condutas, detalhismo,
dispersão de esforços, eficiência, homeostasia pensênica, oportunidades evolutivas,
Parafisiologia, prioridades, maus hábitos e rotina útil.

07.  Autorretrocogniciologia – Determina-se à realização de experimentos de acesso a
existências pretéritas e a vivências intermissivas, através de retrocognições auxiliadas por
técnica musical evocativa do passado, possibilitando a ampliação da autobiografia
pluriexistencial do pesquisador e o estudo da serialidade existencial.
Indicação de autopesquisa: antepassado de si mesmo, crônemica, diretriz assistencial,
expansão consciencial, forma holopensênica pessoal, Holomaturologia, holomemória,
Parafenomenologia, proxêmica e rapport.

08.  Autoevoluciologia – Indica-se à pesquisa e estudo da evolução da consciência abordada de modo integral, holossomático, multiexistencial e multidimensional, em alto nível, função específica do evoluciólogo. A análise comparativa de personalidades, as minibiografias de vultos da História e o teste da análise conscienciométrica são alguns recursos disponíveis para experimentação neste laboratório.
Indicação de autopesquisa: altruísmo, autodiscernimento paracronológico,
autorretrocognições evoluídas, autorreflexão, catalisar soluções de conflitos,
conscienciograma, cosmoética, cosmovisão, desperto, higiene consciencial, holopensene da Evoluciologia, inteligência evolutiva, megafraternidade, tarefa do esclarecimento (tares), trabalho assistencial e voluntário cosmoético.

09.  Cosmoeticologia – Sugere-se à prática e a pesquisa da ética ou reflexão moral cósmica, multidimensional, apresentada sob qualquer rótulo humano ao modo de um discernimento máximo, moral e emocional. Possibilita o domínio das energias conscienciais de alta qualidade, permitindo a sintonia de interesses e objetivos com consciências de nível evolutivo superior.
Indicação de autopesquisa: altruísmo, autocrítica, consciencialismo, coerência, causa e
efeito, estresse positivo, estresse negativo, incorruptibilidade, hábito assistencial,
hiperacuidade, holomaturidade, megaparadigma cosmoético, ortopensenidade, pecadilhos
mentais, qualidade da intenção, universalismo, valores, verbação e teática.

10.  Automentalsomatologia – Refere-se à pesquisa e prática da Mentalsomática
e respectivas implicações evolutivas. O laboratório dispõe de holopensene facilitador da
expansão da consciência e da compreensão do mentalsoma, seus atributos e sua aplicação na dinamização da evolução da consciência. O experimento consiste, basicamente, na avaliação dos atributos do mentalsoma e a técnica da projeção consciencial de mentalsoma.
Indicação de autopesquisa: aprendizagem, assistencialidade, atributos conscienciais,
autodiscernimento, autoconsciencialidade, desassédio mentalsomático, descompensções
energéticas, distúrbios afetivos, evocação, holopensene pessoal, interdependências,
monoideísmo, psicossomática, posicionamento pessoal, psicossoma e racionalizar emoções.

11.  Autodespertologia – Visa à pesquisa e estudo do ser desperto e suas consequências
evolutivas, condição de não padecer mais com os assédios interconscienciais patológicos,
sendo plenamente autoconsciente da sua qualidade de desperticidade nas tarefas assistenciais às consciências. Busca identificar condições pessoais anti e pró-desperticidade, possíveis autoassédios, conseqüências e definição de autosuperação.
Indicação de autopesquisa: autocura de minidoenças, Cosmoética, cunhagem mental,
desassedialidade, desassédio mentalsomático, estado vibracional, evoluciólogo, estagnação evolutiva, isca assistencial, sinalética energética e tenepes.

12.  Imobilidade Física Vígil – Indica-se à prática e pesquisa da Imobilidade Física Vígil
dispondo de ambiente preparado para aplicação da técnica, a qual consiste na manutenção de uma postura somática pela conscin, capaz de permitir pensar sem movimentos perturbadores da psicomotricidade e do sistema nervoso autônomo, dominando a ansiedade e clareando os processos de elaboração mental. Permite ao experimentador dominar a si mesmo, o cerebelo, a massa muscular e, ao mesmo tempo, empregar a reflexão profunda fixada em um só pensamento concentrado.
Indicação de autopesquisa: atenção saltuária, autoconhecimento, autodomínio
holossomático, fenômenos parapsíquicos e mecanismo do pensene pessoal.

13.  Autoparageneticologia – Dedica-se à prática e pesquisa da genética composta e integral, adstrita a todas as heranças da consciência, através do psicossoma e do mentalsoma, das vidas anteriores ao seu atual embrião humano, na condição de conscin ou ser social. O soma usado em vida intrafísica prévia e, desativado, os efeitos da Fisiologia e da patologia influenciam na sua Paragenética.
Indicação de autopesquisa: ancestralidade biológica, bom gosto, carisma, caráter,
características do holossoma, contas cármicas, estigma, elegância pessoal, estilo de manifestação, inconsciente, Macrosssomática, maxiproéxis, nível cosmoético, refinamento nas atitudes, retrocognições e vocação profissional.

14.  Duplologia – Sugere-se à prática e pesquisa da condição de duas consciências interagindo positivamente em evolução conjunta, criando espaço onde a soma das partes, trabalhando juntas, é sempre maior do que a soma das partes separadas. O laboratório estimula a autoanálise através de um campo bioenergético propício, facultando a compreensão e o acesso mais profundo a informações e ideias referentes à grupalidade.
Indicação de autopesquisa: afetividade, amparo e assédio interconsciencial, assistência,
carência, desperticidade, ginossoma e androssoma, grupalidade, interrelações opositivas,
interrelações ambíguas, maturidade cosmoética, mentalsomática, psicossoma, sexossomática e, trafor e trafar pessoal.

15.  Autoprojeciologia – Enfoca a prática e pesquisa em local preparado para aplicação de técnicas da projeção consciente. Reúne condições adequadas para o desenvolvimento das projeções conscientes a partir do campo bioenergético interdimensional. Possibilita a
experimentação de 38 técnicas projetivas diferentes, induzidas pela vontade do
experimentador e respectivas explicações no livro Projeciologia, capítulo VIII.
Indicação de autopesquisa: alucinação, animismo, autodiscernimento, autolucidez, estados
alterados da consciência, memória, imaginação, inconsciente, multidimensionalidade,
parapsiquismo, projeção consciente, raciocínio e vontade.

16.  Conscienciografologia – Compreende à prática e pesquisa em ambiente otimizador para a escrita de livro conscienciológico capaz de proporcionar autodesassedio mentalsomático e favorecer a sincronização da própria conscin autoranda com a linha de cognição multidimensional pessoal. Entre as condições oferecidas está a ausência de estímulos dispersantes, instrumentos para minimizar as influências sobre o soma (predispondo a atuação dominante do mentalsoma) e o holopensene de pesquisa instalado. Indicação de autopesquisa: associação de ideias, concepções originais, cosmovisão, responsabilidade grupocármica conteudística, criatividade, arquivologia pessoal, concentração mental, Redaciologia, produtividade grafopensênica, grafoassistencialidade, e psicografia.

17.  Paradireitologia – Propõe-se ao estudo e à pesquisa dos princípios do Paradireito, o qual circunda e envolve tudo e todos, do vírus à Consciex Livre (CL) tendo a ciência cosmoética como mediadora entre a consciência e o Cosmos. O laboratório incentiva a reflexão da lei de causa e efeito e a busca do estabelecimento da parajurisprudência pessoal dos autopensenes cosmoéticos.
Indicação de autopesquisa: cosmoética, perdão cósmico, cosmoconsciência, evoluciólogo,
direitos e deveres, interassistência, pacificação íntima, anticonflitividade, ortopensenidade,
jurisprudência, códigos pessoais e grupais de cosmoética e juízo crítico.

4. COMO USAR?

Preparação. O pesquisador deve prepara-se para realizar o experimento considerando os
seguintes critérios pessoais de autorganização:
1. Cabelo. Evite ir ao laboratório de cabelos úmidos, pois a umidade pode provocar
mofo nos travesseiros, poltrona e colchão.
2. Odor. Evite usar perfume, creme ou outro produto exalante e/ou fixador de odor.
3. Roupa. Dentro do laboratório, prefira usar roupas claras, leves e soltas que não
apertem nenhuma parte do corpo.
4. Pontualidade. Dirija-se a sala de atendimento dos laboratórios com o mínimo de 10
min de antecedência ao horário do experimento para pegar a chave do laboratório.
5. Lanche. Não é permitido lanchar nem levar água para o laboratório.
6. Aparelhos. Não é permitido o uso de aparelhos eletrônicos, celulares nem
computadores dentro do laboratório.
7. Banheiro. Aconselhável ir ao banheiro antes do experimento. Se houver necessidade
durante o experimento, use o banheiro da recepção, Tertuliarium ou holoteca e evite
ao máximo qualquer tipo de dispersão ao longo do percurso.

Interconectividade. Os laboratórios conscienciológicos são, a rigor, multidimensionais e
favorecem ao pesquisador vivências autoconsciente da multidimensionalidade, dentre outras 4 tipos de interações:
1. Inspiração. É o local mais comum de inspirações extrafísicas dos amparadores.
2. Amparadores. A presença dos amparadores extrafísicos de função é permanente.
As experiências nos laboratórios atraem os amparadores extrafísicos afinizados
com a vida da conscin experimentadora.
3. Natureza. Os laboratórios são recursos de natureza consciencioterápica. Aqui, as
consciexes consciencioterapeutas especializadas atendem, com discrição, às
conscins de todas as naturezas.
4. Arco Voltaico. Há amparadores extrafísicos especialistas em assistir através de
arco voltaico craniochacral direto.

Funções. As funções essenciais, relacionadas às autoexperimentações evolutivas são:
1. Desassédio. O laboratório conscienciológico deve ser sempre o local da
antidispersividade, conexidade multidimensional, refazimento energético e pesquisas
evolutivas contínuas.
2. Formação. Apoio à formação de pesquisadores, oportunizando a reeducação
parapsíquica, vivências multidimensionais diversas e o desenvolvimento de posturas
de pesquisa, tais como aquelas relacionadas à observação e registro sistemático das
vivências.
3. Aperfeiçoamento. Possibilidade de aperfeiçoamento de pesquisadores com realização
de experimentos visando desenvolver e aprimorar técnicas parapsíquicas
e de autoconhecimento.
4. Pesquisa. Contribuição para a ampliação e aprofundamento dos conhecimentos no
campo da Conscienciologia, com levantamento sistemático de dados, verificação de
hipóteses e teorias, e realização de experimentos variados.

Funcionamento. No funcionamento dos laboratórios podem ser identificadas, dentre outras, algumas variáveis básicas:
1. Fisiologia. Adequação dos fatores ambientais que influenciam as condições
fisiológicas do pesquisador, através do controle de temperatura, luz e ruído.
2. Parafisiologia. Suporte para a instalação de um holopensene que favorece a
parafisiologia do pesquisador, atuando a nível holossomático. Em cada ambiente
ocorre a atuação de equipes extrafísicas de amparadores especializadas e a
intensificação de holopensene sadio, com a repetição das técnicas por muitos
pesquisadores.
3. Consciencialidade. Otimização da interação multidimensional e do contato com
o próprio microuniverso consciencial, contribuindo para a pesquisa e desenvolvimento
da consciencialidade.
4. Vontade. Os resultados dos experimentos dependem, entretanto, primordialmente do
próprio pesquisador, envolvendo sua vontade, predisposição e conhecimento.

ETAPAS DE REALIZAÇÃO DO EXPERIMENTO

1. Circulação fechada de energias e estado vibracional (EV). Promover desbloqueios energéticos, autodefesa energética, compensações energéticas do holossoma e a desconexão com as realidades externas ao experimento, através da circulação fechada das energias e instalação do estado vibracional.

2. Acomodação. Arrumar os travesseiros e lençóis, programar o alarme do relógio e
depois observar a melhor acomodação para cada parte do corpo físico na poltrona, cama ou cadeira conforme a necessidade do pesquisador.

3. Auto-relaxação psicofisiológica. Relaxamento de cada músculo do corpo,
gradativamente, e instalação da condição de tranquilidade íntima, sem preocupações e
ansiedades, procurando a otimização pessoal máxima do experimento.

4. Mobilização básica das energias (MBE) e estado vibracional (EV). Execução da
MBE e do EV, buscando a atuação na dimensão energética (dimener), o acoplamento com a equipe extrafísica e a obtenção de idéias relativas à própria evolução consciencial e ao
contexto em que a mesma está inserida.

As etapas de 1 a 4 devem ter uma breve duração (10 a 15 minutos, aproximadamente),
pois constituem preparo para o experimento propriamente dito.

5. Orientações sobre o experimento. Sugere-se a leitura minuciosa e detalhada do
Manual de Medidas Autavaliativas o qual contém as orientações relativas à realização do
experimento a ser realizado.

6. Fechamento. A última meia hora será destinada à elaboração do relatório do
experimento; preencher planilhas, recolher lençóis e fronhas, desligar o ar condicionado e
desligar o alarme do relógio.

7. Assepsia. Instalação do estado vibracional, contribuindo para a assepsia energética
do ambiente durante 5 (cinco) minutos antes de sair do laboratório.

MEDIDAS AUTAVALIATIVAS: INSTRUMENTOS
Os laboratórios Conscienciológicos de Autopesquisa do CEAEC disponibilizam, ao
laboratorista conscienciológico, instrumentos de autavaliação específica a cada temática dos laboratórios com a finalidade de auxiliar na identificação e clareza da própria realidade
consciencial para si mesmo. Os instrumentos estão sendo revisados e ampliados. Após
atualização estarão disponíveis para download no site www.ceaec.org

ATIVIDADES

1. Debate laboratorial. O debate laboratorial de caráter útil, cosmoético e evolutivo trata-se de atividade com o objetivo de realizar discussão técnica de vivências laboratoriais a partir da intenção do grupo ajudar-se a superar a si próprio e a desenvolver, com detalhamento maior, às autopesquisas laboratoriais analisando fatos e parafatos a fim de enriquecer e aprofundar as verdades relativas de ponta.

2. Maratona. A maratona laboratorial consiste em realizar 30 experimentos laboratoriais no período de um mês utilizando o critério de fazer 1 experimento em cada laboratório e a
repetição dos demais laboratórios seguirá conforme inspiração parapsíquica. A meta é colocar os todos os laboratórios funcionando o dia todo. Atividade prevista para 2018.

3. Imersão Laboratorial. A Imersão laboratorial consiste na realização de 10 experimentos laboratoriais de temática específica num período de um mês com a finalidade de aprofundar autopesquisa em conjunto com os debates laboratoriais.